Generalitos General

Generalitos

Porque os seus filhos merecem, aqui deixamos dicas úteis para uma alimentação saudável e equilibrada das crianças.
As crianças não têm o metabolismo de um adulto, como tal carecem de uma alimentação adequada à sua idade e às necessidades concretas do momento que estão a viver.
A hora mais complicada para muitos pais é, sem dúvida, a hora da refeição, ou porque os mais pequenos se recusam simplesmente a comer, ou porque comem de mais.
Deixe de confundir gordura com saúde. Um menino ou menina gordinha pode parecer saudável, mas quase sempre significa que está a ter uma alimentação desequilibrada, o que acarretará consequências nefastas para o seu desenvolvimento.
Uma das soluções passa por impor disciplina nas refeições, nos horários, locais e hábitos alimentares das crianças. O que ele ou ela fizerem hoje à mesa farão certamente quando forem adultos.
Saltar refeições é um erro muito comum, que se deve evitar, principalmente se esses períodos forem preenchidos com “guloseimas”.

 

Siga estas dicas:

Não ceda às pressões do “tenho fome”; avalie com rigor o que está por detrás desta mensagem e preferencialmente troque os sólidos por líquidos (a água está no topo da lista); verifique se há sintomas de algum distúrbio alimentar ou problema de saúde – caso se confirme, leve a criança a um médico.
Tudo começa por uma refeição equilibrada: uma porção maior de hidratos de carbono com amido (arroz, massa e cuscuz ou batata, feijão e ervilhas), complementada por uma dose menor de alimentos proteicos (carne, aves, peixe, ovos ou feijão). Baixo consumo de gorduras.
As recusas de determinados alimentos devem ser geridas com bom-senso. Introduza novos sabores de forma espaçada e gradual.

 

Lembre-se:

pode não se tratar de uma birra; uma criança não tem o sistema digestivo desenvolvido como o adulto.

Conselho:

Se quer dar a provar um alimento desconhecido, faça-o com uma colher de dimensões reduzidas ou utilize o dedo. Assim, caso a criança aprecie, vai poder aumentar a dose e logo servir-lhe o prato integral.

Conservas General

Chaves para a alimentação saudável da criança:

Alimente-o adequadamente desde o seu nascimento, criando-lhe o hábito da variedade e das refeições completas – as que têm os nutrientes fundamentais.

Comer deve ser também um hábito de partilha, à mesa e na companhia daqueles que mais gosta. Assim, será mais fácil ver esta acção como algo natural e essencial à vida;

Refeição rima com televisão, mas é prejudicial ao desenvolvimento da criança e não se deve deixá-los comer à frente do aparelho.

“Olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”. Quase sempre é difícil seguir o provérbio, principalmente quando estão crianças no meio. Pais obesos dão origem a filhos obesos. Modifique os seus hábitos alimentares e eles farão o mesmo. Leve-os para atividades ao ar livre, eles vão adorar e a saúde deles também.

Envolva-os nas tarefas que dizem respeito à alimentação, como a ementa da semana, ou a lista das compras. As crianças ficarão mais interessadas e atentas ao que vão ingerir.

Não os deixe mais de 3 horas e meia sem comer. Os lanches em proporções moderadas são fundamentais, tais como a ceia ligeira (só em caso de necessidade)

5 refeições ao dia que contemplem frutas, verduras e hortaliças

“Guerra” ao sal… ou quase (reduza a dose para 5g/dia). Em alternativa, use o sal iodado ou ervas.

Os açúcares são prejudiciais. Faça com que eles se “esqueçam” das guloseimas, doces e refrescos.

Água é essencial, principalmente para quem tem muita energia para gastar. A ingestão (um a dois litros) não deve ser feita apenas quando a sede “aperta”…